terça-feira, 3 de março de 2009

Defesa do Palmeiras encara hoje o maior artilheiro do mundo de 2008.


Se a defesa é o setor mais deficiente do Palmeiras neste início de ano, o técnico Vanderlei Luxemburgo tem um motivo a mais para se preocupar hoje, às 20h, no Parque Antarctica. O maior astro do Colo Colo, adversário da equipe paulista pela segunda rodada da Taça Libertadores da América, foi no ano passado o maior artilheiro do mundo.

O argentino Lucas Barrios, 24, marcou 37 gols na soma dos Torneios Apertura e Clausura do Campeonato Chileno, o que lhe deu o prêmio de goleador máximo das primeiras divisões de Campeonatos Nacionais de todo o planeta, oferecido pela IFFHS (Federação Internacional de História e Estatística do Futebol).

"2008 foi um grande ano para mim. Consegui ajudar o Colo Colo a ser campeão [do Clausura] e ganhei esse título de artilheiro do mundo. Mas só consegui isso graças aos meus companheiros, que me ajudaram muito", afirmou o atacante, em entrevista por telefone à Folha Online.

Formado nas categorias de base do Argentinos Juniors, Barrios perambulou por equipes pequenas do seu país natal e do Chile até se destacar no Cobreloa e conseguir uma transferência para o Atlas (MEX). Sem sucesso no México, foi emprestado no começo do último ano ao Colo Colo, que adquiriu seus direitos federativos por US$ 2 milhões (cerca de R$ 4,7 milhões).

O começo de 2009 do atacante foi tão bom quanto o término da temporada passada. Ele marcou logo em sua estreia na Libertadores, mas não impediu a derrota em casa por 2 a 1 para o Sport-PE.

"Nós não fomos surpreendidos pelo Sport Recife, que é uma equipe muito boa. Eles foram melhores por um tempo, mas nós criamos muitas oportunidades de gol e não conseguimos aproveitá-las", lamentou.

Nesta terça, Barrios terá pela frente uma defesa que fica longe do desempenho do ataque. Em 13 jogos pelos Campeonato Paulista e pela Libertadores, o Palmeiras já foi vazado 14 vezes --média de 1,07 gol da partida, pior do que a do Corinthians (0,81) e a do São Paulo (0,83), por exemplo.

Para piorar, o Palmeiras não poderá contar com o seu goleiro titular, Marcos, que sofreu uma contusão na coxa direita diante do Guarani, no sábado. Em seu lugar, será escalado Bruno.

Lado oposto

Barrios poderia estar do lado brasileiro do confronto no Parque Antarctica. Antes do início da temporada, o jogador negociou com a Turbo Sports, empresa que colocou o lateral-esquerdo Pablo Armero no time paulistano.

"Eu soube do interesse de Palmeiras, Corinthians e Internacional. Eles procuraram o Colo Colo, que colocou um preço, mas nada se concretizou. Agora, sigo trabalhando por aqui e esperando uma possibilidade de ir para a Europa ou para uma liga mais forte", disse o jogador, que também foi procurado por Espanyol (ESP) e Nancy (FRA).

Procurado pela reportagem, o gerente de futebol palmeirense, Toninho Cecílio, esclareceu que Barrios nunca foi uma opção no clube e que, mesmo que a Turbo Sports o contratasse, ele poderia ser repassado a outro time.

"O Palmeiras nunca negociou com o Lucas Barrios. Não tínhamos condições de contratá-lo e nem o procuramos, apesar de ser um grande jogador. A Turbo Sports e a Traffic não nos representam. Ninguém da diretoria de futebol falou no nome do jogador. Alguma empresa podia contratá-lo e colocar em outro clube que não o Palmeiras."

Duelo com Keirrison

Enquanto o Colo Colo aposta em Barrios para se recuperar do tropeço na estreia na Libertadores, o Palmeiras, que perdeu para a LDU, no Equador, na primeira rodada da fase de grupos, contra-ataca com Keirrison.

Em nove jogos pelo time do Parque Antarctica, o atacante marcou 12 vezes. Sua fama de artilheiro já chegou ao Chile e aos ouvidos do goleador adversário.

"Eu vi alguns jogos do Palmeiras e percebemos que ele é um jogador muito importante, que vive um grande momento. Temos que tomar cuidado, mas ele não joga sozinho. Vamos buscar uma maneira para ele não ter espaço. É a chave para conseguirmos um bom resultado", avaliou o argentino.
fonte: folha online

Um comentário:

Francisco disse...

A defesa do Palmeiras realmente preocupa, ainda não se acertou, curiosamente os jogos onde menos tomou gol foram os que atuaram os reservas, mas tambem o ataque adversário era mais fraco.
A marcação tem que ser feita desde o ataque para facilitar o Pierre e a defesa.